Scott Pilgrim Contra o Mundo

Scott Pilgrim (Michael Cera) tem 22 anos, integra uma banda de rock, vive trocando de emprego e namorada. Sua vida está relativamente bem quando conhece Ramona V. Flowers (Mary Elizabeth Winestead). Ele logo se apaixona perdidamente, só que para ficar com ela Scott precisa enfrentar a Liga de seus sete ex-namorados do mal, que estão dispostos a tudo para impedir a felicidade do casal.

Assista ao trailer:

 

Nada melhor que acordar com a garota dos seus sonhos materializada (com o cabelo cor de rosa e tudo) aí do seu lado, né? É bem o que acontece com Scott Pilgrim (e aconteceu com uma amiga minha). Scott é um cara de 22 anos que mora em Toronto, Canadá, divide o apartamento com um amigo (interpretado por Kieran Culkin, irmão do Macaulay), toca baixo na banda Sex Bob-omb e vive meio sem saber o que quer ou onde está indo; apenas segue indiferente e acomodado em sua ~vidinha preciosa~ sem pensar muito. Magrelo, desengonçado e um tanto inseguro, Scott está no ranking dos carinhas sensacionais e tem um surpeendentemente numeroso histórico de ex-namoradas. A eleita da vez é Knives Chau (Ellen Wong), uma chinesa de 17 anos que ainda frequenta o colegial. Um namorinho bobo, de passeios de mãos dadas e sem beijos na boca, que a irmã e os amigos não aprovam e nem ele mesmo sabe porquê continua com a relação, apenas continua.

Um dia, Scott estava com Knives na entrada de sua casa quando uma ilusão se apoderou de sua mente, e ele se viu sozinho em um deserto ensolarado até que uma garota de cabelo rosa e patins passou por ele dizendo “você não está sozinho, só está tendo um sonho idiota”. Ele acordou ao lado de seu colega de quarto, Wallace Wells (Kieran), e em seguida se encontrou com Knives na biblioteca, como haviam marcado. Lá, Scott viu uma garota exatamente igual à do seu sonho e, aturdido, passou a tentar descobrir quem ela era, não tardando a obter êxito: Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead), cerca de 25 anos, morava em Nova York, terminou um namoro recentemente. Qual não foi a surpresa de Scott quando Ramona bateu à sua porta para entregar uma encomenda bem na hora em que sonhava com ela (legal ver os pontos de vista se inverterem) e Scott então não perdeu tempo e a convidou para sair. Apaixonado, ele descobriu que para namorar Ramona precisaria enfrentar os 7 ex-namorados maléficos dela, entre eles um famoso ator metido a skatista  (Chris Evans) e um rockstar vegano com superpoderes (Brandon Routh).

Scott Pilgrim Contra o  Mundo é uma adaptação dos quadrinhos de Bryan Lee O’ Malley, criados entre 2004 e 2010, e que conta com 6 volumes ao todo (no Brasil foi lançado completo numa versão com apenas 3 volumes): Precious Little Life (Vidinha Preciosa); Vs. the World (Contra o Mundo); The Infinite Sadness (Tristeza Infinita); Gets it Together (algo como “Agora é Sério”); Vs. the Universe (Contra o Universo) e Finest Hour (Melhor Hora). Como toda transposição de mídia, o filme acaba deixando de fora algumas explicações e modificando muitos elementos presentes na HQ, embora no fim o resultado seja bastante satisfatório, funcionando muito bem como uma mídia isolada. Por falar nisso, Scott  Pilgrim Contra o Mundo é um dos raros felizardos a realizarem a proeza de serem boas em todas as versões produzidas: a HQ é boa, o filme é bom, o jogo feito pela Ubisoft para PS3 e Xbox 360 também.

O modo como a linguagem é utilizada estabelece uma conexão instantânea com os jovens (e geeks) a quem o filme se dirige (o público-alvo, em geral). Em conjunto com os dilemas juvenis e o elenco conhecido em sua maioria por participações em produções teens (Michael Cera, Mary Elizabeth Winstead, Chris Evans, Brie Larson, Jason Schwartzman, Brandon Routh, Alison Pill, Johnny Simmons, Anna Kendrick), há também onomatopéias, legendas (balões) apresentando os personagens e detalhando ambientes, edições rápidas, montagens paralelas e cortes inesperados, por vezes colocando Scott à mercê dela (e da vida), como se fosse transportado para cada lugar sem controle (encontra Knives na biblioteca > Emenda com o ensaio da banda > Corta do ensaio para a rua > Emenda a rua com a festa), tela divida lembrando quadrinhos, cartazes e flashbacks com os desenhos da HQ. A presença de uma narração em momentos pontuais reforça a metalinguagem e a aproximação, assim como as referências a inúmeros elementos da cultura pop  – nos figurinos (repare as camisetas por exemplo; até mesmo o logo de uma marca de canetas usada por quadrinistas aparece), cenários, diálogos – e as citações a jogos de videogame.

Scott Pilgrim Contra o Mundo, porém, vai além das menções e transporta a estética e a narrativa dos games para a tela, criando cenas de luta repletas de grafismos dos jogos, seja nos VS., K.O., golpes especiais, modo 2 players, placares, bônus e poderes extras exibidos, seja por uma barra de status medindo nível de urina. Mesmo quando não estão lutando, sons de jogos como Super Mario Bross, The Legend of Zelda, Sonic – the Hedhog são inseridos (moedas do Mario, anéis do Sonic, som do Link abrindo baús) e nas conversas vez ou outra mencionam alguns títulos (Pacman, Tetris); o próprio nome da banda está relacionado a um jogo : Bob-omb são as bombinhas do Super Mario e até mesmo a vinheta de abertura é feita com gráfico e trilha em 8 bits, em mais um rercuso nostálgico de jogos das décadas de 1980 e 1990. A estrutura narrativa, através dos combates de Scott contra os ex- namorados de Ramona, também provém dos games: fases a serem superadas a partir do enfrentamento de chefes de acordo com a evolução do personagem, que vai acumulando pontos e adquirindo habilidades maiores.

Contando ainda com uma trilha sonora bacanuda e um humor que se divide entre a ingenuidade e o sarcasmo e se encaixa facilmente no cotidiano dos jovens, Scott Pilgrim Contra o Mundo é uma obra criativa e dinâmica, cujo destaque fica ao encargo da parte técnica, com foco nos sons e no visual. A aparência de jogo, os efeitos especiais, as muitas cores em contraste com o preto e branco dos quadrinhos, o deixam esteticamente interessante. Com estilo inovador e bem sucedido, o filme é sem dúvida um ótimo exemplo do que deveria ser uma boa adaptação de um jogo de videogame para o cinema. No dvd tem um final alternativo, o qual eu prefiro, pois acredito que a mensagem passada se completaria melhor – ou pelo menos a ideia dela, já que a execução é um pouco mal feita, com diálogos bobos, dando a impressão de ter sido feito só por fazer, sem que tivesse havido alguma dúvida sobre o desfecho. Mas de qualquer forma o final oficial é coerente, então tudo bem. A lição bonitinha sobre enfrentar desafios é passada de maneira tão literal, divertida e enérgica que é praticamente impossível não perceber a métafora do amadurecimento e pra quem ela se destina.

Um bom filme pra você!

 

Siga nossas redes e não perca nada!
Facebook| Instagram | Twitter | Filmow| Google +


 

Título original: Scott Pilgrim Vs. the World (EUA | Reino Unido | Canadá | Japão, 2010)

Direção: Edgar Wright

Roteiro: Edgar Wright | Michael Bacall

Gênero: Ação | Comédia | Fantasia

IMDB: 7,5

Anúncios

Um comentário sobre “Scott Pilgrim Contra o Mundo

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s