Scott Pilgrim Contra o Mundo

Scott Pilgrim (Michael Cera) tem 22 anos, integra uma banda de rock, vive trocando de emprego e namorada. Sua vida está relativamente bem quando conhece Ramona V. Flowers (Mary Elizabeth Winestead). Ele logo se apaixona perdidamente, só que para ficar com ela Scott precisa enfrentar a Liga de seus sete ex-namorados do mal, que estão dispostos a tudo para impedir a felicidade do casal.

Assista ao trailer:

 

OBS.: Disponível na Netflix

O texto a seguir contém spoilers

Nada melhor que acordar com a garota dos seus sonhos materializada aí do seu lado, né? É bem o que acontece com Scott Pilgrim (e aconteceu com uma amiga minha). Scott é um cara de 22 anos que mora em Toronto, Canadá, divide o apartamento com um amigo (interpretado por Kieran Culkin, irmão do Macaulay), toca baixo na banda Sex Bob-omb e vive meio sem saber o que quer ou onde está indo; apenas segue indiferente e acomodado em sua ~vidinha preciosa~ sem pensar muito. Magrelo, desengonçado e um tanto inseguro, Scott está no ranking dos carinhas sensacionais e tem um surpeendentemente numeroso histórico de ex-namoradas. A eleita da vez é Knives Chau (Ellen Wong), uma chinesa de 17 anos que ainda frequenta o colegial. Um namorinho bobo, de passeios de mãos dadas e sem beijos na boca, que a irmã e os amigos não aprovam e nem ele mesmo sabe porquê continua com a relação, apenas continua.

Um dia, Scott estava com Knives na entrada de sua casa quando uma ilusão se apoderou de sua mente, e ele se viu sozinho em um deserto ensolarado até que uma garota de cabelo rosa e patins passou por ele dizendo “você não está sozinho, só está tendo um sonho idiota”. Ele acordou ao lado de seu colega de quarto, Wallace Wells (Kieran), e em seguida se encontrou com Knives na biblioteca, como haviam marcado. Lá, Scott viu uma garota exatamente igual à do seu sonho e, aturdido, passou a tentar descobrir quem ela era, não tardando a obter êxito: Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead), cerca de 25 anos, morava em Nova York, terminou um namoro recentemente.

Qual não foi a surpresa de Scott quando Ramona bateu à sua porta para entregar uma encomenda bem na hora em que sonhava com ela (legal ver os pontos de vista se inverterem) e Scott então não perdeu tempo e a convidou para sair. Apaixonado, ele descobriu que para namorar Ramona precisaria enfrentar os 7 ex-namorados maléficos dela, entre eles um famoso ator metido a skatista  (Chris Evans) e um rockstar vegano com superpoderes (Brandon Routh).

Scott Pilgrim Contra o  Mundo é uma adaptação dos quadrinhos de Bryan Lee O’ Malley, criados entre 2004 e 2010, e que conta com 6 volumes ao todo (no Brasil foi lançado completo numa versão com apenas 3 volumes): Precious Little Life (Vidinha Preciosa); Vs. the World (Contra o Mundo); The Infinite Sadness (Tristeza Infinita); Gets it Together (algo como “Agora é Sério”); Vs. the Universe (Contra o Universo) e Finest Hour (Melhor Hora). Como toda transposição de mídia, o filme acaba deixando de fora algumas explicações e modificando muitos elementos presentes na HQ, embora no fim o resultado seja bastante satisfatório, funcionando muito bem como uma mídia isolada. Por falar nisso, Scott  Pilgrim Contra o Mundo é um dos raros felizardos a realizarem a proeza de serem boas em todas as versões produzidas: a HQ é boa, o filme é bom, o jogo feito pela Ubisoft para PS3 e Xbox 360 também.

O modo como a linguagem é utilizada estabelece uma conexão instantânea com os jovens (e geeks) a quem o filme se dirige. Os dilemas juvenis e o elenco conhecido em sua maioria por participações em produções teens (Michael Cera, Mary Elizabeth Winstead, Chris Evans, Brie Larson, Alison Pill etc.), reforçam a lição bonitinha de enfrentar desafios, que é transmitida de maneira tão literal, divertida e enérgica que é praticamente impossível não perceber a métafora do amadurecimento e pra quem ela se destina.

Há também onomatopéias, balões apresentando os personagens e detalhando ambientes, tela divida lembrando quadrinhos, edições rápidas, montagens paralelas e cortes inesperados, por vezes colocando Scott à mercê dela (e da vida), como se fosse transportado para cada lugar sem controle (encontra Knives na biblioteca > Emenda com o ensaio da banda > Corta do ensaio para a rua > Emenda a rua com a festa), . A presença de uma narração em momentos pontuais, reforça a metalinguagem e a aproximação, assim como as referências a inúmeros elementos da cultura pop  – nos figurinos (repare as camisetas por exemplo; até mesmo o logo de uma marca de canetas usada por quadrinistas aparece), cenários, diálogos – e as citações a jogos de videogame.

Scott Pilgrim Contra o Mundo, porém, vai além das menções e transporta a estética e a narrativa dos games para a tela, criando cenas de luta repletas de grafismos dos jogos, seja nos VS., K.O., golpes especiais, modo 2 players, placares, bônus e poderes extras exibidos, seja por uma barra de status medindo nível de urina (!). Mesmo quando não estão lutando, sons de jogos como  The Legend of Zelda, Sonic – the Hedhog, Super Mario Bross, são inseridos, e nas conversas vez ou outra mencionam alguns títulos; o próprio nome da banda está relacionado a um jogo : Bob-omb são as bombinhas do Super Mario e até mesmo a vinheta de abertura é feita com gráfico e trilha em 8 bits, em mais um rercuso nostálgico de jogos das décadas de 1980 e 1990. A estrutura narrativa, através dos combates de Scott contra os ex- namorados de Ramona, também provém dos games: fases a serem superadas a partir do enfrentamento de chefes de acordo com a evolução do personagem, que vai acumulando pontos e adquirindo habilidades maiores.

Contando ainda com uma trilha sonora bacanuda e um humor que se divide entre a ingenuidade e o sarcasmo, se encaixando facilmente no cotidiano dos jovens, Scott Pilgrim Contra o Mundo é uma obra criativa e dinâmica, cujo destaque fica ao encargo da parte técnica, com foco nos sons e no visual. A aparência de jogo, os efeitos especiais, as muitas cores em contraste com o preto e branco dos quadrinhos, o deixam esteticamente interessante. Com estilo inovador e bem sucedido, o filme é, sem dúvida, um ótimo exemplo do que deveria ser uma boa adaptação de um jogo de videogame para o cinema.

OBS.: Existe um final alternativo no dvd do filme e você pode assistir no YouTube.

 Um bom filme pra você!

 

Siga nossas redes e não perca nada!
Facebook| Instagram | Twitter | Filmow| Google +


Título original: Scott Pilgrim Vs. the World (EUA | Reino Unido | Canadá | Japão, 2010)

Direção: Edgar Wright

Roteiro: Edgar Wright | Michael Bacall

Gênero: Ação | Comédia | Fantasia

IMDB: 7,5

Anúncios

Um comentário sobre “Scott Pilgrim Contra o Mundo

Comentários

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s